Foi Mais ou Menos Assim

R$ 64,00
Sem imposto
  • Associado:
    R$ 54,40

Aquela branquela era muito bonita” reconheceu, um pouco contra- Ariado. Ele aprendera, com os gringos, a reconhecer a beleza do povo negro, a de sua mulher, dona Veridiana, a de sua filha Cecília, de suas netas Anete e a Galega, tudo gente linda, ainda que a feiura e a lindeza não escolhessem raça, reconheceu, enquanto a doutora o cumprimentava como se realmente estivesse contente em encontrá-lo. Reparou: a menina o encarava com dois olhos arregalados de coruja assustada, ainda que soubesse disfarçar sua atrapalhação, observou, vestida de branco, ela fingia segurança, também pudera, era doutora, médica, e os médicos costumam se achar parente próximo de Deus, pensou irônico. Depois de perguntar sobre os remédios, comida, sono, a doutora indicou que se assentasse na maca e tirasse a camisa. Enquanto ela auscultava seu pulmão e seu coração, ele voltou a pensar, sim, os médicos se julgavam acima do bem e do mal, igual ao que ele pensava antes, muito antes, na época quando descobriu a verdade brilhante e a explicação inteira para a condição humana, para tudo, na doutrina do partido comunista. Até que fora proveitoso, um preto pobre de maré-maré, da roça, e comunista. Mais de quarenta anos pra trás, mil novecentos e cinquenta e algo, os pregadores do partido pareciam profetas, que nem os evangélicos daquele fim de século, que nem sua netinha, a Galega. Os comunas de antigamente tinham o mesmo brilho nos olhos, o mesmo jeito confiante e brusco de lidar com os outros. . . Qualquer pessoa, todos, eram apenas alguém a ser convertida para a causa.

Últimos itens em estoque
Descrição

Aquela branquela era muito bonita” reconheceu, um pouco contra- Ariado. Ele aprendera, com os gringos, a reconhecer a beleza do povo negro, a de sua mulher, dona Veridiana, a de sua filha Cecília, de suas netas Anete e a Galega, tudo gente linda, ainda que a feiura e a lindeza não escolhessem raça, reconheceu, enquanto a doutora o cumprimentava como se realmente estivesse contente em encontrá-lo. Reparou: a menina o encarava com dois olhos arregalados de coruja assustada, ainda que soubesse disfarçar sua atrapalhação, observou, vestida de branco, ela fingia segurança, também pudera, era doutora, médica, e os médicos costumam se achar parente próximo de Deus, pensou irônico. Depois de perguntar sobre os remédios, comida, sono, a doutora indicou que se assentasse na maca e tirasse a camisa. Enquanto ela auscultava seu pulmão e seu coração, ele voltou a pensar, sim, os médicos se julgavam acima do bem e do mal, igual ao que ele pensava antes, muito antes, na época quando descobriu a verdade brilhante e a explicação inteira para a condição humana, para tudo, na doutrina do partido comunista. Até que fora proveitoso, um preto pobre de maré-maré, da roça, e comunista. Mais de quarenta anos pra trás, mil novecentos e cinquenta e algo, os pregadores do partido pareciam profetas, que nem os evangélicos daquele fim de século, que nem sua netinha, a Galega. Os comunas de antigamente tinham o mesmo brilho nos olhos, o mesmo jeito confiante e brusco de lidar com os outros. . . Qualquer pessoa, todos, eram apenas alguém a ser convertida para a causa.

Detalhes do produto
Hucitec
9788584043293

Ficha técnica

AutorGastão Wagner de Souza
Ano2022
PaísBRASIL
IdiomaPortuguês
Páginas316
Altura (cm)23
Largura (cm)16
Profundidade (cm)2
Peso (g)374
ISBN9788584043293

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência de navegação. Leia nossa Política de Privacidade e os Termos de Uso.

Entrar

Megamenu

Sua sacola

Não há mais nenhum item em sua sacola